quarta-feira, 20 de julho de 2016

Programação cultural agita o fim de semana no centro do Rio



Música, gastronomia e oficina sobre jornalismo marcam o sábado no Al-Farabi


Uma das casas mais tradicionais do Rio volta a surpreender o público com eventos especiais para o fim de semana. A mistura não poderia ser melhor e é capaz de agradar até mesmo o cliente mais exigente! A mistura de música, gastronomia e debate promete transformar esse sábado (23) em uma data inesquecível.

O dia começa com a oficina realizada por Caio Barbosa, que irá abordar o “Jornalismo em tempos de crise: o leitor como protagonista”. Formado em Ciências Sociais e Jornalismo pela Universidade Federal Fluminense, Caio é jornalista há 16 anos e tem em seu currículo a experiência de ter trabalhado em algumas das principais redações do Rio. Atualmente, exerce as funções de repórter e colunista de política (e gastronomia) no jornal o DIA.

Às vésperas de mais uma eleição municipal e dos Jogos Olímpicos, o jornalista dará uma oficina, a partir das 11h, que abordará a cobertura jornalística nos dias atuais e sua relação com a sociedade, com os movimentos sociais, buscando entender de que forma a imprensa trabalha e como o consumidor de informação (leitor, ouvinte ou telespectador) pode - e deve - exercer sua cidadania para ser decisivo na construção de um novo jornalismo, uma vez que este sofre profundo processo de transformação.

Às 12h, a cozinha da casa será invadida pelo chef Cezar Cavaliere. O Al-Farabi o convidou para preparar um prato especial para o público. O pedido da vez é uma galinhada, que vai deixar todos com água na boca. Os valores dos pratos variam entre individual, por R$30, e para duas pessoas por R$55. As reservas já podem ser feitas por telefone ou e-mail.

Trabalhando como cozinheiro profissional desde 2010, Cezar Cavaliere, de 26 anos, decidiu trocar a faculdade de direito na UFRJ e o trabalho como monitor de história do Colégio e Curso pH, por experiências gastronômicas em Londres. Iniciou sua carreira no Reino Unido, na hamburgueria Byron.

Após o período de experiência no exterior, voltou ao Brasil em 2011, onde fez vários estágios. No mesmo ano teve a oportunidade de começar a trabalhar com Claude Troisgros no 66 Bistrô, Olympe e CT Boucherie. Em 2012, foi para a França trabalhar com o chef Emmanuel Ruz, no restaurante Lou Fassum, na Provence. A indicação foi dada na época por seu "tutor", o chef Frédéric Monnier.

Dois anos depois voltou a atuar com Frédéric, como responsável pelos eventos da casa da Taittinger, durante a Copa do Mundo. Cezar também foi sócio do Botero, no mercadinho São José. E trabalhou de junho de 2015 até mês passado no restaurante Laguiole, no MAM, cujo chef é o suíço-carioca Elia Schramm.

E fechando o dia, a casa recebe a partir das 15h o grupo Duobá. Formado porMakley Mattos (voz), Abel Luiz (cavaco e voz), Marlon Mouzer (violão sete cordas) e Jorge Alexandre (percussão e voz), o grupo traz o melhor do samba para o público.

A programação cultural se adequa perfeitamente ao ambiente do Al-Farabi. Uma combinação única de livros antigos, discos de vinil e boa gastronomia faz da casa uma opção charmosa e descontraída no corredor cultural do Centro do Rio. São 150 lugares distribuídos por três andares decorados com obras de artistas e referências a uma das principais bebidas da casa: a cerveja.

Criado em 2004, inicialmente como um sebo para um público cativo desse tipo de negócio, o Al-Farabi foi o desbravador da região que mais tarde se tornaria um movimentado corredor cultural e gastronômico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário