segunda-feira, 11 de julho de 2016

Programação que celebra a arte da população de rua é parte da programação oficial da Rio 2016



Celebrar, promovere fomentar o desenvolvimento de projetos em arte com a população de rua do Rio de Janeiro. Esse é o mote do projeto Uma Só Voz (WithOneVoice), que nasceu durante a Olimpíada de Londres, em 2012, e foi pioneiro na inclusãoda população de rua na programação olímpica oficial, capitaneada pela ONG inglesa Streetwise Opera. Seguindo o fio condutor olímpico, o Rio de Janeiro é agora palco do encontro, promovendo uma agenda artística como parte da programação oficial das Olimpíadas Culturais da Rio 2016 (Celebra Cultura 2016).

Pop ups de corais compostos por moradores de rua vão ocupar o Centro do Rio com o objetivo de dar visibilidade a essa parcela da população, normalmente invisível à sociedade.Além disso, uma delegação de 18 artistas, diretores de ONGs e ex-moradores de rua de Japão, Austrália, Reino Unido, Portugal e EUA se unem ao setor local para celebrar o trabalho em artes em uma série de performances, workshops e debates.

As apresentações são resultado de um trabalho de intercâmbio e capacitação entre Reino Unido e Brasil,realizado durante três anos, em iniciativa desenvolvida com co-produção da People’s Palace Projects, e parceria com o British Council e CalousteGulbenkian Foundation, além da Prefeitura do Rio de Janeiro, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social, de artistas, profissionais do setor e Movimento Nacional de População de Rua. No início do programa de capacitação, apenas um coral com população de rua foi localizado na capital carioca, enquanto hoje são 11 no total, sob o comando do diretor de corais Ricardo Branco Vasconcellos, sendo dois em Petrópolis e nove na capital fluminense.

"A arte se transforma em uma ferramenta poderosa para a recuperação da autoestima e da confiança dessas pessoas, que convivem diariamente com preconceito social e precariedade. A intenção do projeto é recuperara dignidade necessária para que elas, por conta própria, possam correr atrás de sustento. A partir desse processo, os moradores de rua se sentem estimulados a buscar condições melhores de vida", explica Matt Peacock, gestor do projeto e diretor-artístico da ONG Streetwise Opera.

Na delegação internacional estarão algumas das principais ONGs, como Streetwise Opera (Reino Unido), Cardboard Citzens (Reino Unido), ChoirWith No Name (Reino Unido), Manchester Homeless Charter (Reino Unido), Som da Rua (Portugal), Sokerissa (Japão), TheatreoftheOpressed (EUA), MilkCrateTheatre (Austrália) e Cocoroom (Japão), que participam da ação ‘Uma Só Voz - Ocupação de arte e população de rua’. A ação promoverá encontros e debates entre moradores de rua e pessoas que trabalham no setor sobre poesia, música, teatro e oficinas de reciclagem de instrumentos musicais.

No dia 23, dois eventos públicos marcam a programação do projeto: um pop up de coral com cerca de 100 moradores de rua acontece no Foyer do Museu do Amanhã, a partir das 10h15 e às 16h. O evento final da programação será marcado por performances locais e internacionais na Biblioteca Parque. A segunda apresentação marcará o lançamento de uma rede internacional inédita de arte e população de rua e a entrega simbólica do bastão do projeto para o Japão, país que sediará a próxima Olimpíada.

Liderado pelo carioca Ricardo Vasconcellos, o coral vem ensaiando semanalmente ao longo dos últimos meses. Para a apresentação final, a população de rua também está aprendendo técnicas circenses de perna de pau.sob o comando doCirco Crescer e Viver. Além disso, uma montagem teatral desenvolvida pelo diretor Marcus Faustini abordará, por meio de técnicas de teatro verbatim, a realidade enfrentada pela população de rua e questões de gênero.

Mecanismos para dar voz à população de rua estão sendo transferidos do Brasil para o Reino Unido. Em Manchester, as políticas públicas têm sido reescritas com a inclusão das opiniões dos próprios moradores como um primeiro passo para a formação de um Movimento da População de Rua em Manchester.

O Uma só Voz 2016é uma parceria entre a Streetwise Opera e a People’s Palace Projects, organização artística que desenvolve intercâmbios culturais entre o Reino Unido e o Brasil, em parceria com o British Council Brasil pelo programa Transform, Fundação Calouste Gulbenkian, ArtsCouncilEngland e Macquarie. Para essa fase final, o projeto conta com o apoio da Secretaria de Desenvolvimento Social do Rio de Janeiro, Projeto Circulando, Defensoria Pública do Rio de Janeiro, Movimento Nacional de População de Rua, Pastoral da Rua, Circo Crescer e Viver, Agência Redes Para Juventude, Biblioteca Parque, Museu do Amanhã, Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e Ru’art.

Programação:

19/07

12h-12h30 - Pop up performance do coral do Rico no Museu do Amanhã

14h - Pop up performance do coral na Biblioteca Parque

20/07

10h15-10h30 - Pop up performance do coral no Méier

13h30-13h45 - Pop up performance do coral em Madureira

14h-15h - Pop up teatro verbatim na Biblioteca Parque

14h - Workshop Som da Rua de fabricação de instrumentos musicais na Catedral

21/07

9h30 - Encontro Internacional de Arte e População de Rua na Cinemateca do MAM

13h30-14h30 - Pop up performance do coral nos Arcos da Lapa

22/07

9h-10h45 - Workshop Som da Rua de fabricação de instrumentos musicais na Cinelândia

10h15-10h30 - Pop up performance do coral na escadaria do Teatro Municipal

11h-14h - Workshop de Teatro do Oprimido para população de rua, atores e trabalhadores sociais na Biblioteca Parque

11h-14h - Workshop de dança na Cinelândia

11h-13h30 - Workshop de poesia na Biblioteca Parque

23/07

10h15-10h45 - Pop up performance do coral no Museu do Amanhã

16h-18h - Show e evento ao vivo na Biblioteca Parque

Nenhum comentário:

Postar um comentário