quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Maestro Affonso Reis é homenageado em dois concertos da OPES, dias 13 e 14 de agosto



Dois concertos especiais lembrarão, com carinho e reverência, o Maestro Affonso Reis, falecido há cinco anos, e que dedicou 63 anos à Banda de Música do Colégio Salesiano Santa Rosa, bem como a distintos projetos que traziam como compromisso a educação dos jovens por meio da música. Com regência do maestro Antonio Augusto, os solistas João Luiz Areias (trombone), Cristiano Alves e Whatson Cardozo (clarinetas) se apresentarão com a Orquestra Petrobras Sinfônica no sábado, dia 13 (às 10h), na Basílica Nossa Senhora Auxiliadora (Niterói) e dia 14 (às 16h), na Igreja São João Batista da Lagoa, em Botafogo. Os concertos, gratuitos, fazem parte da Série Mestre Athayde, que a OPES realiza em igrejas do Estado do Rio.

O programa se inicia com a peça “1918”, de Paulo Silva, que foi professor do Maestro Affonso na Escola Nacional de Música. Niteroiense, o renomado compositor e pedagogo nasceu em 1892, falecendo em 1967. Foi responsável pela formação de alguns dos melhores músicos brasileiros. Na seqüência do programa, duas obras de Joaquim Naegele - um dos grandes amigos do "Mestre Affonso" -, “Ouro Negro” e “A vida pela flor” (esta com solos de Cristiano Alves Whatson Cardozo). Nascido na então Vila de Santa Rita do Rio Negro, hoje Euclidelândia, em Cantagalo, em 1899, Joaquim Naegele faleceu em 1986, transformando-se num símbolo da tradição das bandas de música, um importante norte para as futuras gerações. Maestro por vinte e cinco anos da Sociedade Musical Beneficente Campesina Friburguense, seu acervo musical e sua batuta foram doados pela família ao Maestro Affonso, que o acompanhou muito proximamente nos últimos tempos. Suas composições, criadas exclusivamente para bandas de música, integram os acervos de partituras de todo o Brasil e sua história é parte fundamental da memória das bandas centenárias do Estado.

Também grande amigo de Maestro Affonso, o renomado professor de trombone Gilberto Gagliardi será lembrado com uma “Seleção de maxixes”. Nascido em São Paulo, em 1922, o instrumentista e arranjador estudou trombone com o pai, José Gagliardi, e iniciou suas atividades profissionais com a orquestra Simon Bountman. Realizou suas primeiras gravações em 1939 e atuou em diversas orquestras na Odeon, acompanhando grandes artistas como Francisco Alves, o Trio de Ouro, Orlando Silva, Sílvio Caldas, Emilinha Borba e outros. Foi primeiro Trombone da Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal de São Paulo e professor do Conservatório Dramático e Musical de Tatuí.

“Suite pernambucana de bolso”, do Mestre Duda, é uma das obras mais emblemáticas do programa. Exímio compositor e arranjador, profundamente ligado à música nordestina e suas raízes, Duda e Maestro Affonso se conheceram em um Festival de Férias e assim perpetuaram uma longa amizade. Não poderia ficar de fora do programa a singela valsa "Lúcia Dantas”, de Felinto Dantas, uma das obras preferidas do Mestre Affonso. Abrilhanta o concerto a belíssima “Annie Laurie - Ária e variações para Trombone e Banda”, de Arthur Pryor, este considerado o maior virtuoso do trombone no que se refere a Banda de Música. João Luiz Areias será o solista da obra.

Outro renomado compositor - também trombonista - que escreveu obras para banda sinfônica, Gustav Holst, será lembrado com a peça “Songs of the West”, marco definitivo na história da Banda do Salesiano. Tal composição fora a peça de confronto no "II Jugendmusik Festival", realizado em 1992, na Suíça. Nesta importante competição internacional, concorrendo com 44 bandas de dezenas de países, o Salesiano obteve a 1a colocação na principal categoria.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário