segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Dida Bar e Restaurante traz a chef baiana Angélica Moreira para o Afro Dida



Dida Bar e Restaurante está em festa, realiza evento alusivo ao mês da consciência negra, traz pela primeira vez a chef baiana Angélica Moreira, que comanda o projeto “Etnogastronômico Ajeum da Diáspora” para a edição de novembro, do Afro Dida, o fim de semana contará ainda com apresentação do grupo ÀWÚRÉ.

O “Ajeum da Diáspora” remonta sabores da culinária afro-brasileira. O projeto gastronômico e cultural, idealizado por Angélica Moreira, tem como objetivo valorizar a culinária afro-brasileira. Uma oportunidade de reunir e saborear iguarias, da vasta culinária africana, sempre contando com um toque de criatividade e originalidade.

“A minha cozinha é de resistência e por isso eu tenho convicção que precisamos nos irmana; estar sempre unidos em prol da valorização da nossa cultura, por isso é interessante para o Ajeum da Diáspora realizar essa parceria e participar desse evento, para fortalecer o nosso trabalho de etnogastronomia e preservar esse acervo maravilhoso que a culinária afro-brasileira possui.". atesta a chef Angélica Moreira.

O evento Afro Dida, que acontece sempre no 3° sábado de cada mês, tem o intuito de realizar uma grande invasão afro no Rio. O encontro, ineditamente acontecerá em dois dias: 19 e 20 de novembro, com a chef convidada Angélica Moreira. Funcionará assim, são várias opções, separadas por dia.

· O valor de R$ 49,00, contará com 1 entradinha, 1 prato principal e 1 sobremesa.

Dia 19 / Sábado

· Entradas: ficam a cargo de Adocica, Bolsinha de Madagascar e uma Surpresa da chef. É só escolher uma delas e ter a certeza que será surpreendente.

· Prato principal / opção 1: Eran com Banana da Terra: Dentre os elementos que marcam a etnogastronomia africana e afro-brasileira, o azeite de dendê, a pimenta, o camarão seco e a banana da terra são ingredientes que tem forte presença. Todos eles estarão nessa receita. O prato que faz uma releitura da tradicional moqueca de carne e é servido no Ajeum da Diáspora acompanhado por feijão fradinho, outro presente culinário trazido da África.

· Prato principal / opção 2: Efó com Peixe: um prato conhecido da cozinha afro-baiana, mas que dificilmente encontrado nos restaurantes da cidade. O Efó, iguaria que faz parte do amplo legado do cardápio herdado dos povos africanos, será um dos pratos principais servidos no evento. Como manda a tradição, para acompanhar o Efó serão servidos peixe e arroz, ambos com o toque criativo que Angélica Moreira confere aos preparos da sua cozinha.

· Sobremesa: Cocada Preta

Dia 20 / Domingo

· Entradas: Adocica, Bolsinha de Madagascar e uma Surpresa da chef.

· Prato principal / opção 1: Adiê com Quiabos: uma deliciosa iguaria que tem como principal elemento o frango preparado com camarão seco, leite de coco e quiabos. Arroz com um toque diferenciado e feijão fradinho acompanham o prato.

· Prato principal / opção 2: Frango com Ginguba: receita tradicional angolana, o Frango com Ginguba é uma comida que faz parte da culinária do país e carrega o sabor marcante do amendoim em uma espécie de guisado extremamente saboroso acompanhado de arroz de coco.

· Sobremesa: Doce de Banana, é uma loucura o sabor, simples e marcante.

Tem mais - Três bebidas também são criações da cozinha do Ajeum. São elas: o ‘Fufu’, composta com aguardente, coco e gengibre, o ‘Dedeu’, uma batida fresca de tamarindo e o 'Jajá', feito com maracujá, por R$ 7,00 cada.

E a restaurateur Dida também estará com uma dica bacana: Caril de Camarões, preparado com camarão, molho espesso de tonalidade amarelada, com toques deaçafrão, cominho, coentro e curry. Para tornar mais saboroso será servido no abacaxi. Preço individual, por R$ 39,00. A sugestão é uma inspiração de Moçambique.

“É ou não é para ficar prosa? Estou realizada com esse desafio, passar para meus clientes um nicho diferente de sabor​es​”. Atesta a anfitriã Dida.

E no sábado, única apresentação do grupo ÀWÚRÉ,

às 19h / couvert artístico, de R$ 5,00.

O termo ÀWÚRÉ faz parte do grande acervo de palavras do povo Yorubá e tem a sua formação um tanto complexa (*À*= nos ou nós, *WÚ* = desejar e *RÉ* ibukun = su as bênçãos); mas que atravessou o tempo e até hoje é falado, ao lado de outros idiomas, na parte oeste da África. Principalmente na Nigéria, Benim, Togo e Serra Leoa. Em grande parte dos cânticos sagrados em reverência aos deuses africanos, o termo aparece fazendo menção e desejo de boa sorte, bênçãos, prosperidade... coisas boas de uma forma geral.

E com o propósito de levar tais coisas boas, tendo a música como elemento de ligação e os tambores como o catalisador dessa energia ancestral, surge o grupo ÀWÚRÉ. Formado a partir de encontros despretensiosos, por integrantes cheios de bagagens e vindos de diferentes escolas, o grupo tem como mola mestra de impulsão do trabalho, o tradicional samba. Além da diversidade de ritmos e sons, é o que marca a concepção musical adotada. Um passeio pelas diversas formas de samba, pelo Jongo, ijexá, côco e por alguns toques do candomblé; o grupo dentro de um respeito ao sagrado e como forma de preservação cultural.



Ou seja, será uma comemoração imperdível.



Dida Bar e Restaurante

Rua Barão de Iguatemi, 408 / Praça da Bandeira
Telefone: 2504 0841

Aberto: terça e quarta, das 16h até 0h / quinta, sexta e sábado: das 12h até 0h e domingo, das 12h até 20h

Formas de Pagamento: Cartões de débito: Visa e Mastercard
Cartão de Credito: Visa e Mastercard / Ticket Restaurante / Sodexo / Alelo
Capacidade: 40 lugares



Fotos: Chef Angélica Moreira e pratos, de Safira Moreira.

Fotos Dida e Caril de Camarões - Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário