quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

ESPETÁCULO EM HOMENAGEM AOS 105 ANOS DE NELSON CAVAQUINHO



A quinta, do dia 26, será em homenagem aos 105 Anos de Nelson Cavaquinho, cantor e compositor mangueirense, dono de importantes clássicos do samba. O show é interpretado por dois grandes músicos da nova geração – Tomaz Miranda e Stephanie Serrat. Sem dúvida, uma noite imperdível.

Tomaz e Sthepanie contarão passagens de vida do compositor que marcou época com suas canções melancólicas e sombrias. Os dois jovens artistas contarão em verso e prosa, a história do mestre, acompanhados por uma banda que remonta a sonoridade antiga, com a inserção de um solista, recriando os ambientes intimistas dos velhos redutos de samba. Uma merecida exaltação ao grande sambista.

Nelson Cavaquinho nasceu em 29 de outubro de 1910, no Rio de Janeiro. Seu envolvimento com a música inicia-se na família. Seu pai, Brás Antônio da Silva, era músico da banda da Polícia Militar e seu tio Elvino tocava violino. Depois, morando na Gávea, passou a frequentar as rodas de choro. Foi nessa época que surge o apelido que o acompanharia por toda a vida.

Trabalhou na polícia fazendo rondas noturnas a cavalo e foi assim, durante as rondas, que conheceu e passou a frequentar o morro da Mangueira, onde conheceu Cartola e Carlos Cachaça. Nelson Cavaquinho, em sua maturidade, trocou o instrumento que lhe serviu de alcunha pelo violão e desenvolveu um estilo muito peculiar de tocá-lo, utilizando apenas dois dedos da mão direita.

Deixou mais de quatrocentas composições, entre elas clássicos como "A Flor e o Espinho" e "Folhas Secas", ambas em parceria com Guilherme de Brito, seu parceiro mais frequente. Suas canções eram feitas com extrema simplicidade e letras quase sempre remetendo a questões como o violão, mulheres, botequins e, principalmente, a morte, como em "Rugas", "Quando Eu me Chamar Saudade", "Luto", "Eu e as Flores" e "Juízo Final".

Tomaz Miranda – é cantor, cavaquinista, arranjador e produtor. É formado em música - Bacharelado em Arranjo - pela UNIRIO. Toca profissionalmente desde os 14 anos, fazendo o circuito da noite carioca pela Lapa e outras casas da Zona Sul como o Bar do Tom e o Vinicius Bar. Tem experiência internacional com shows na França e Argentina.

Tomaz Miranda é diretor e intérprete do “Simpatia é Quase Amor”, um dos principais blocos de carnaval do Rio. Lançou em Julho de 2015, seu primeiro disco, "Os Sambas Que Me Dizem". No repertório, músicas de compositores novos na cena musical e de nomes conhecidos como Moacyr Luz, Toninho Geraes e Toninho Nascimento.

Há espaço, também, para uma música inédita de Nelson Cavaquinho, gravada com a participação de Beth Carvalho.

Tomaz divide o palco com Sthepanie Serrat - é compositora, cantora e atriz. Começou sua carreira no teatro, aos 14 anos, no Tablado, seguindo, três anos depois, para o grupo “Nós do Morro”, onde fez parte da equipe também por três anos. Participou de espetáculos como “Hair”, “Os Dois Cavalheiros de Verona”, de William Shakespeare, “Rock in Rio – O Musical” e “Chacrinha, o Musical”. Foi selecionada entre cerca de mil candidatas, para protagonizar o espetáculo “Andança, Beth Carvalho, o Musical”. A atriz também participou de um grupo de samba chamada Artigo Esgotado e, hoje, integra o Samba Sofia. Dona de uma voz singular, Stephanie se prepara para gravar seu primeiro CD.

O projeto é assinado pela Sonata Cultural - agenciadora e produtora de shows, focada na valorização da cultura e da renovação do samba. A companhia trabalha com artistas expoentes do cenário musical e se diferencia pela relação de parceria que mantém com os profissionais e artistas associados. E nos brinda com esse excelente trabalho em única apresentação desse grande ícone do samba.

No palco - Tomaz Miranda – voz e cavaquinho / Stephanie Serrat – voz / Kiko Horta – sanfona e piano / Maurício Massunaga – violão / Fred Alves – percussão e Ramon Murcia – percussão

Tomaz e a Stephanie dividirão o palco e cantarão músicas juntos e outras individualmente. O repertório passeia por “Coração de Poeta” – Nelson Cavaquinho e Paulinho Tapajós; “Folhas Secas” – Nelson Cavaquinho e Guilherme de Brito, “A Flor e o Espinho” – Nelson Cavaquinho, Guilherme de Brito e Alcides Cami, “Juízo Final” – Nelson Cavaquinho e Élcio Soares, entre outros clássicos.

Data: 26 (quinta) de Janeiro

Espaço Cultural BNDES

Projeto Quintas BNDES

Horário: 19h

Entrada gratuita

Avenida República do Chile, 100 / Centro

Tel. 3747 9506

Capacidade: 370 lugares –

Das 18h às 19h- retirada do ingresso no local (reservas também pela internet - www.bndes.gov.br/espacobndes)

Faixa etária: livre

Ar condicionado

Nenhum comentário:

Postar um comentário