sábado, 11 de fevereiro de 2017

Sarau com música ao vivo no lançamento do livro Verdade Noturna




O autor Dinho Fonseca foi no mínimo criativo, para tornar sua obra conhecida ele usou de outras ferramentas para se apresentar ao grande público. E é chegada a hora de lançar um novo projeto - o seu livro "Verdade Noturna", que foge dos padrões comuns de um lançamento literário, com simples sessão de autógrafos, e vem embalado com show e declamação...

Criado no subúrbio carioca, em Vila da Penha, onde mora há 40 anos, foi lá que surgiu a arte de Dinho Fonseca. "No bairro me identifiquei com a cultura da região, sua originalidade, a simplicidade de suas ruas, os moradores da região, suas praças arborizadas, os bares e botecos tradicionais da boemia carioca", atesta o poeta.

Mas sua inspiração também é alimentada em Boa Esperança, Lumiar, distrito de Nova Friburgo/RJ. Numa casinha de madeira a beira de um rio no meio dos vales encantados daquela região, longe do caos, como gosta de frisar.

O livro "Verdade Noturna" é o resultado dessa primeira frente de divulgação com o projeto "Poste no Poste", uma coletânea de poesias escritas desde o final dos anos 80, até meados de 2014. Que representa diversas fases do poeta, embora mantenha o mesmo estilo coloquial do autor. Inclusive, mais de 20 poemas contidos no livro já foram musicados. E assim, em 2015 surgiram as primeiras aparições dos poemas, com a intenção de apresentar as poesias para um público diverso, tanto nas ruas como nas redes sociais. E Dinho lançou mão do formato de lambe-lambe como uma manifestação poética marginal, ali já nascia o escopo do livro.


E seus versos ganharam a cidade, com pequenos cartazes com frases curtas, com poemas como "Nós temos álcool em comum.", "A curva é o sorriso da reta.", "Ponto G fica antes da hora H.", "Coragem se toma sem gelo". Todas autorais, e mais de 100 frases diferentes foram coladas pelos postes da cidade que, depois de fotografadas pelo próprio autor, são postadas nas redes sociais onde já conta com mais de 20 mil seguidores em todo o Brasil. Ou seja: uma arte lúdica e criativa, e já com um legado.

Multifacetado, Dinho é designer, inventor, compositor, artista plástico e poeta, além de ser um profissional de Comunicação e Marketing. Sempre trabalhou com arte e escreve desde a adolescência. O livro é apenas o começo de muitos. E o "Poste no Poste" acabou se tornando um projeto paralelo ao do livro, independente.

Minucioso, cuidou pessoalmente de cada detalhe: cor, diagramação, capa e miolo, para que pudesse apresentar a obra literária pela Chiado Editora unida à sua experiência de mais de 30 anos como designer gráfico. O resultado saiu do jeito que planejou, conseguido representar subjetivamente o tema do livro com a alternância entre suas páginas brancas e negras, além de contar com algumas intervenções fotográficas, todas autorais.

"O cuidado com o meu trabalho como designer foi o mesmo que tenho com a minha obra, resultando em uma apresentação simples, direta e objetiva. A mistura entre o designer e o poeta pode ser reparada no texto de apresentação do livro onde consta somente a frase "Apresentação é um saco, vamos à introdução", afirma Dinho.

O livro vem com poemas e versos publicados pela primeira vez e tem 245 poemas, incluindo ainda três mini contos.

O lançamento, claro, virou sarau literário, um espetáculo com declamações poéticas e música ao vivo, todas autorais, derivadas dos poemas do livro. Dinho Fonseca atuará no palco declamando seus versos e ganha reforço dos parceiros Geraldo Amaral, Wagner Ricciardi & a Tribo, Flávio Fonseca, Beto Braga e Zen, entre outros músicos convidados, que vão passear pela MPB, pop, reggae, rock´n roll e a riqueza da musicalidade afrobrasileira.

Dia 15 (quarta) de fevereiro

Teatro Eva Herz - Livraria Cultura - Cine Vitória

Rua Senador Dantas, 45 / Centro

Das 18h às 19h30, sarau com música ao vivo

Às 20h, sessão de autógrafos

Entrada franca

Nenhum comentário:

Postar um comentário