Header Ads

  • Últimas Notícias

    Dia de Reis, traz a lenda do Bolo Rei, bolo típico português que se come tradicionalmente nessa data.



    O seu nome alude aos três reis magos. E na Casa Cavé, doceria mais antiga no Centro da Cidade, as encomendas dispararam.

    O Dia de Reis é o último dia da Epifania (o período que vai desde a data do nascimento de Cristo até à chegada dos Reis Magos em Belém), comemorado em 6 de janeiro, não podendo faltar à mesa, dia do tradicional BOLO REI. O bolo tem a sua simbologia: o tom dourado da sua côdea representa o ouro, o seu aroma o incenso e as frutas a mirra. Escondendo no meio do Bolo Rei uma fava. Reza a lenda que quem ficar com a fatia com a fava, terá um ano rei.

    Certamente que a tradição do bolo rei faz parte das tradições natalícias e no Dia de Reis, encontrado na Casa Cavé, que já recebeu premiações pelo Consulado Português do Melhor Bolo da Cidade. A iguaria é vendida em três tamanhos: R$ 86,00 - Kg / R$ 43,00 - ½ Kg / R$ 22,00 - 250 grs.

    Casa Cave, é a doceria mais antiga do Rio, com 157 anos, no Centro do Rio, e o Bolo Rei, se destaca como um dos itens que mais vendem na 1ª semana do ano – Com muitas histórias o Bolo Rei vem ganhando cada vez mais adeptos. A mais antiga das histórias vem do ano de 745 antes da fundação de Roma, quando reinava na Palestina o Rei Herodes I, o Grande. Conta a lenda que nessa época começaram a rumar a Jerusalém sábios em astronomia, sacerdotes e alguns magos, integrados numa caravana de camelos.

    Esta caravana tinha o propósito de prestar homenagem ao Messias, o Salvador do Mundo, cujo nascimento havia sido anunciado para a cidade de Belém de Judá. Quando se encontravam a poucos quilômetros do seu destino, resolveram descansar e tentaram escolher qual deles seria o primeiro a oferecer os seus presentes ao Menino que tinha acabado de nascer. Como não conseguiram chegar a acordo, foi decidido confeccionar um bolo com uma fava no seu interior que seria repartido por todos em partes iguais, aquele a quem tocasse a fava, teria o privilégio de ofertar primeiro os seus presentes, que constavam de incenso, ouro e mirra.

    Este episódio passou de boca em boca e generalizou-se o costume de fazer um bolo com uma fava no interior sempre que era necessário resolver qualquer tipo de disputa. Entretanto, uma outra lenda atribui o Bolo Rei a um nascimento pagão na cidade de Roma, durante as festas dedicadas a Saturno. De acordo com a lenda, era costume naquelas festas designar o rei a título simbólico, quem coubesse uma fatia de bolo com uma fava. Pagão por nascimento, este costume foi adotado pelos cristãos para uma festa litúrgica de Epifania, recordando os três Reis Magos. Para tal era confeccionado um bolo coberto de frutos cristalizados e com uma fava dentro.

    Os franceses adotaram o costume de cortar o Bolo Rei em tantas fatias quanto o número de convivas e mais uma chamada a parte de Deus, que se destinava a matar a fome de um mendigo da localidade. Em Portugal, essa tradição se modificou. Agora, a pessoa a quem tocar a fava tem que fornecer no ano seguinte um Bolo Rei para todos os convivas.

    Casa Cavé

    Tels. 2507 0068 / 2242 4498 / 2221 0533 / 2222 2358 / 2224 2520

    Nenhum comentário

    Post Top Ad

    Post Bottom Ad