Header Ads

  • Últimas Notícias

    Com mercado em alta, Gracom visa popularizar ensino de games e computação gráfica no Brasil



    A Gracom School of Visual Effects foi criada com o objetivo de ser uma escola de efeitos visuais e computação gráfica que pudesse ser acessível ao público e levasse cursos de tecnologia para regiões fora do eixo “Rio-São Paulo”. A primeira unidade foi fundada em Feira de Santana, na Bahia, em 2008.

    “Naquela época, eu ouvia falar de brasileiros que trabalhavam na Marvel e na Pixar, e via que a maioria era autodidata. Estávamos engatinhando nessa área no Brasil. O ensino na área de tecnologia estava apenas em polos específicos, como Rio e São Paulo, além de serem cursos caros”, explica Diego Monteiro, 33, fundador e presidente da Gracom.

    Em 2012, a Gracom se tornou a primeira escola de efeitos visuais a adotar o modelo de franquias no Brasil, e hoje, já possui uma rede que conta com 23 unidades – das quais sete são próprias e 16 são franquias. No total, as escolas da Gracom contam com 16 mil alunos. A escola oferece cursos de computação gráfica para cinema, design 3D, desenvolvimento de games, programação, entre outros.

    Em junho, uma nova unidade da Gracom será inaugurada no Rio de Janeiro, em Copacabana, e pelo menos três novas unidades devem ser anunciadas até o início do segundo semestre. Neste ano, a Gracom pretende ter uma participação bastante efetiva na ABF Franchising Expo 2018, de 27 a 30 de junho, em São Paulo, onde vai contar com um estande que vai ter a presença de vários super-heróis do mundo dos games, que vão interagir e pode tirar ‘selfies’ com o público.

    Em todo o país, a previsão é de que pelo menos nove novas franquias sejam abertas até o final do ano, o que representa um crescimento de 50% da rede. Com isso, a expectativa é atingir a marca de 20 mil alunos em todo o país.

    Mercado de games

    De acordo com informações do Global Games Market Report 2017, estudo da Newzoo sobre o mercado internacional de jogos eletrônicos, o Brasil está se destacando na área. Em 2017, o país ficou no 13º lugar no ranking das empresas que mais geram receita no setor.

    Em todo o mundo, espera-se que o mercado movimente US$ 108,9 bilhões no fechamento de 2017, enquanto que, para o Brasil, essa estimativa é de US$ 1,3 bilhão.

    Além disso, o mercado de games se profissionalizou no Brasil nos últimos anos e cresce em um cenário próspero e estável para o desenvolvimento profissional, registrando altas de procura por profissionais nesse segmento.

    Para se ter uma ideia dessa expansão, a agência de recrutamento de estagiários Page Personnel tem registrado sucessivas altas de procura por profissionais desse segmento, que saltou de 23% em 2013 para 61% em 2016.

    Atentos a essa tendência, vários ex-alunos da Gracom têm conseguido destaque no cenário internacional de tecnologia. Um exemplo é Henry Rietra, hoje com 30 anos, que fez o curso Open CG, na unidade da Gracom em Fortaleza-CE, em 2011.

    Na época, tinha 23 anos, e com esse curso, teve o primeiro contato com um software de vetorização, o Illustrator, e um de3 efeitos em vídeo, o After Effects.

    Atualmente, ele mora em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, e é responsável pela arte em 3D dos jogos desenvolvidos pela empresa Hybrid Humans. Trabalha em um estúdio de criação de jogos, no cargo de Lead 3D Artist. “Uso bastante o conhecimento que adquiri com os cursos da Gracom, especialmente na produção de vídeos e propagandas para os jogos da empresa”, afirma.

    Já o ex-aluno da Gracom, Rodrigo Carvalhedo, foi aceito por seu portfólio na Auburn University no Alabama, nos Estados Unidos. Ele iniciou sua carreira no mundo das animações na Gracom, em São Luís (MA), onde cursou o curso Open CG, que oferece conhecimentos de vetorizações, pinturas digitais, animações e modelagem 3D.

    Ao concluir o curso, e com a assessoria de seus professores, se inscreveu em cinco universidades americanas, obtendo aprovação em todas.

    Cursos

    Atualmente, a Gracom oferece sete modalidades de cursos aos alunos: Open CG, Gamer DV, GamerArt, SET 3D, Cine TV, Sculpture Tradicional e Gracom Kids (voltado para crianças). A carga horária dos cursos varia de 2h30 a 3 horas semanais, e os cursos duram, em média, dois anos para serem concluídos. O custo dos cursos está entre R$ 250 e R$ 480.

    As salas de aula da Gracom contam com computadores robustos que contêm placas de vídeos e processadores de alto desempenho. Além de a sala ser tematizada e climatizada, há projetores e profissionais capacitados a ministrarem todos os cursos.
    O material didático inclui apostilas com conteúdos exclusivos que complementam o ensino e o aprendizado do aluno. “Os cursos oferecidos pela Gracom formam profissionais na área de computação gráfica, que atendem a demandas importantes do mercado, como desenvolvimento de Games e 3D. Os profissionais formados nessas áreas chegam a ganhar R$ 10 mil por mês em grandes empresas hoje no Brasil”, diz Monteiro.

    A Gracom é uma empresa conhecida como AATC (Adobe Authorized Training Center), já que está autorizada pela Adobe, líder mundial em soluções para mídias digitais, a ministrar treinamentos e certificação com selo de qualidade Adobe. Os investimentos iniciais para as franquias estão na casa de R$ 280 mil (dos quais R$ 40mil são sobre os direitos da franquia e R$ 240 mil para investimentos em obras).

    Sites:

    Gracom Escola de Efeitos Visuais - http://www.gracomonline.com.br/

    Grupo Gracom - http://grupogracom.com.br/index.html

    Nenhum comentário

    Post Top Ad

    Post Bottom Ad