• Últimas Notícias

    Intenção de consumo das famílias cariocas alcança melhor índice desde 2015


    O índice registrou alta pelo quarto mês consecutivo, tendo o melhor resultado desde março de 2015

    O índice que mede a Intenção de Consumo das Famílias no Rio de Janeiro (ICF/RJ) registrou alta pelo quarto mês consecutivo em fevereiro, alcançando 89,9 pontos – subindo dois pontos percentuais em relação a janeiro –, o que representa o melhor resultado desde março de 2015, quando registrou 99,2 pontos. Na comparação com fevereiro de 2018, houve crescimento de 30,8%. Já em comparação com janeiro deste ano, o aumento foi de 2,3%.

    Dos sete itens pesquisados no levantamento da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio RJ), apurado pela CNC, seis apresentaram variação positiva em relação ao mês anterior, e todos tiveram aumento ante fevereiro de 2018. No comparativo mensal, apenas a perspectiva profissional teve leve retração de 0,9%. A pesquisa utiliza pontuação de 0 a 200 pontos, sendo que os índices abaixo dos 100 pontos indicam percepção de insatisfação e acima de 100 pontos, grau de satisfação.

    Entre os subitens pesquisados, o que avalia a perspectiva de compra do consumidor carioca foi o que apresentou aumento mais expressivo em relação a fevereiro de 2018, crescendo 55,9% neste período e 5,8% na variação mensal, alcançando 87,3 pontos, sendo também a maior alta de janeiro para fevereiro deste ano. Já o item que classifica o momento para aquisição de bens duráveis, mais caros, também teve aumento expressivo, de 45% na variação anual e de 0,7% na mensal, alcançando 63,7 pontos.

    O nível geral de consumo atual ficou em 74,4 pontos, aumentando 31,6% contra fevereiro de 2018 e 2,9% na variação mensal. O índice que mede o acesso ao crédito passou para 90,7 pontos, representando alta de 30,7% entre fevereiro de 2018 e fevereiro de 2019, e alta de 1,9% comparado a janeiro deste ano. Neste item, 25,6% das famílias entrevistadas responderam que estão com acesso mais fácil ao crédito para comprar a prazo.

    Emprego mais seguro

    Outro destaque da pesquisa foi o item emprego atual, cujo índice chegou aos 108,8 pontos, aumentando 13,8% em comparação ao ano passado e registrando o maior valor desde março de 2015, quando alcançou 114,8 pontos.

    Em relação à renda atual, o índice alcançou 101,5 pontos, aumentando 18,5% ante fevereiro de 2018 e 1,6% comparado ao mês anterior. Para 27,7% dos entrevistados, a renda está melhor atualmente, mas para 26,1%, a renda está menor. A maior parte das famílias (45,5%) afirmou que a renda se manteve estável. O quesito perspectiva profissional foi o único item que registrou recuo na comparação mensal, mas se manteve acima dos 100 pontos (102,8 pontos) em fevereiro, crescendo 39,6% em relação ao mesmo mês de 2018 e recuando 0,9% na comparação com janeiro deste ano.

    Nenhum comentário